O músico norte-americano R Kelly, conhecido pela música “I believe I can fly”, está a ser acusado de ter criado um culto em que aprisiona mulheres, mantendo-as como escravas sexuais e controlando todos os aspetos das suas vidas. De acordo com a acusação, o cantor controla inclusive o que as jovens comem e como se vestem. 

Ele decide o que comem e como se vestem, não lhes permite sair sem autorização e exige que entrem em práticas sexuais que mais o satisfazem", diz a acusação, citada pelo BuzzFeed.

De acordo com o jornal, R Kelly controla mesmo quando as mulheres tomam banho e se podem sair dos quartos para falar umas com as outras. As mulheres não têm telemóvel e são proibidas de falar com amigos e famílias. Além disso, são obrigadas a chamar Kellly de "Daddy".

Estas acusações vieram a público, esta segunda-feira, quando foi publicada uma reportagem do BuzzFeed que incluía entrevistas aos pais de duas das raparigas alegadamente presas por Kelly e testemunhos de três mulheres que já fizeram parte desta espécie de culto e confirmaram esta versão dos factos.

Todas as mulheres são maiores de idade, já que a idade mínima de consentimento para relação sexual nos estados de Illinois e Geórgia onde estão as casas do músico e é de, respetivamente, 16 e 17 anos. Por isso as autoridades não podem atuar.

Um representante do cantor já veio a público negar todas as acusações de que o músico é alvo.  

 Robert está alarmado e perturbado pelas recentes revelações a ele atribuídas. O senhor Kelly nega sem dúvidas estas acusações e irá empenhar-se em perseguir os acusadores e limpar o seu nome", disse um representante do cantor ao site TMZ.

A mãe de uma das jovens descreveu o último encontro com a filha, a 1 de dezembro de 2016.

Foi como se ela tivesse sido submetida a uma lavagem ao cérebro. Parecia uma prisioneira. Foi horrível. Abracei-a e abracei-a. Mas ela só dizia que estava apaixonada e que ele toma conta dela", disse a mãe de uma das mulheres, citada pelo BuzzFeed.

Uma das jovens que vive com o cantor deu uma entrevista ao TMZ onde diz que está bem e "num lugar feliz".

Joycelyn Savage, de 21 anos, disse que não sofreu nenhuma lavagem cerebral e que decidiu falar porque a situação ficou fora de controlo.

Só quero que os meus pais e toda a gente saiba que eu estou ótima e que está tudo bem comigo", disse.

Joycelyn afirma que não está presa contra a sua vontade e que não percebe porque os pais estão tão preocupados.

 A última vez que falei com os meus pais foi provavelmente há cinco ou seis meses. Não tenho falado muito com eles porque eles têm provocado muitos problemas na minha vida".

 

Dizem que eu fui raptada e que estou presa. Estou com o coração partido com esta situação. E já chegou a um ponto em que está fora de controlo. Não quero falar com eles por causa do que eles estão a fazer."

Na entrevista dada a TMZ, a jovem não quis dizer onde estava e se estava a partilhar a casa com outras mulheres.

Os pais de Joycelyn deram uma conferência de imprensa, esta segunda-feira, onde disseram que a filha está a ser manipulada e que não tinha consciência.

A minha filha sofreu uma completa lavagem cerebral ao ponto de dizer tudo o que ele quer que ela diga. Ela não é a mesma Joycelyn que nós conhecemos", disse a mãe de Joycelyn.

 

R Kelly é um dos músicos de R&B com mais sucesso, com cerca de 60 milhões de álbuns vendidos e três prémios Grammy.

O artista já esteve envolvido em vários escândalos sexuais, no entanto nunca foi condenado.