Os dois homens acusados de tentar matar a cantora Joss Stone na sua casa em Devon, vão apelar contra as sentenças a que foram condenados.

Junior Bradshaw, de 33 anos, e Kevin Liverpool, de 36, foram condenados no ano passado por uma tentativa de roubo e homicídio da artista em 2011. Em consequência foram condenados a 18 anos de prisão e prisão perpétua respetivamente, sendo que Liverpool ficaria com a possibilidade de sair em liberdade condicional ao fim de dez anos.

Os homens andavam a seguir a cantora e tinham o plano para o roubo delineado quando o mau aspeto do carro nas redondezas levantou suspeitas nos vizinhos, que acabaram por chamar a polícia.

Joss Stone estava em casa quando os dois homens foram detidos.

De nada serviu aos homens alegarem à polícia que estavam perdidos porque no interior da viatura, as autoridades encontraram um saco para transportar cadáveres, armas, facas e pés de cabra.

No tribunal de Bristol, a acusação provou que eles pretendiam roubar a cantora e extorquir-lhe pelo menos um milhão de libras. Depois, iriam matá-la e atirá-la à água. Joss Stone foi considerada já em 2006 uma das jovens cantoras mais ricas do mundo.

Contra factos parece haver ainda argumentos ou, pelo menos, apelos, o que leva os dois homens agora a recorrerem das suas sentenças, como conta a BBC.