Os The Happy Mess vão começar esta semana a apresentar o segundo álbum, “Half Fiction”, registo que foi criado durante os dias que a banda passou numa floresta em Paredes de Coura, disse à Lusa o vocalista.

O novo disco vai ser editado na sexta-feira, data do concerto no Hard Club, no Porto, dias antes de a banda se dirigir para o Centro Cultural de Belém, onde vai atuar a 15 de outubro, para depois partir em digressão pelo país.

De acordo com o vocalista, Miguel Ribeiro, o processo criativo de “Half Fiction” foi diferente do de “Songs from the Backyard”, uma vez que a banda se propôs um desafio: “Ir uma semana e pouco para uma floresta [no Corno de Bico] em Paredes de Coura, onde ficámos afastados de tudo e de todos e compusemos grande parte do disco nessa floresta. Tínhamos uma visita de vez em quando de uns pastores e de umas ovelhas."

Miguel Ribeiro salienta que não havia acesso a telemóveis nem Internet, tendo os membros da banda sido “absolutamente eremitas” durante esses dias no começo do ano, continuando depois o trabalho em torno do álbum já em Lisboa.

A banda composta também por Rui Costa (teclados), Joana Duarte (voz e sintetizadores), Pedro Madeira (bateria) e João Pascoal (baixo) mantém a mesmo formação há cerca de dois anos e viu o disco mais recente ser produzido por Rui Maia, dos X-Wife.

Sobre os objetivos dos The Happy Mess, o também jornalista Miguel Ribeiro explica que são os “objetivos de todas as bandas: criar público, chegar o mais longe possível” e que a sua música “passe nas rádios, seja ouvida e apreciada."

Até aqui, a banda tem sentido o "carinho do público, o que permite sonhar um bocadinho."

De acordo com o comunicado de divulgação do novo disco, o “grupo inclui uma vertente transdisciplinar que alia a arte e o vídeo, uma comunicação artística muito vincada que resulta da parceria constante com artistas de vídeo/multimédia, quer em ‘videoclips’ quer nas suas atuações ao vivo."