O projeto visual «Films of Innocence», dos U2, do qual faz parte um vídeo criado, a convite da banda, pelo artista português Alexandre Farto, que assina como Vhils, é editado esta terça-feira.

O vídeo levou Vhils a «puxar limites» e «explorar uma série de caminhos novos», contou o próprio à Lusa.

Na sua página de facebook, Vhils mostrou-se «orgulhoso».
 

«Films of Innocence» é constituído por filmes artísticos inspirados em «Songs of Innocence», o mais recente álbum dos U2, elaborados por «onze dos mais aclamados artistas urbanos do mundo», como se lê na sua apresentação.

As referências musicais de Vhils, de 27 anos, estão mais ligadas aos universos do hip-hop e da soul, mas a banda rock irlandesa, especialmente com temas como «Sunday bloody sunday», «esteve sempre presente» no seu percurso. Acima de tudo, Alexandre Farto tem «um grande respeito pelo trabalho de ativismo que [os elementos da banda] sempre tiveram».

A Vhils calhou o tema «Raised by Wolves», que decidiu rodar, no final de agosto, nos estaleiros da Lisnave e em Cacilhas, no concelho de Almada, sítios próximos do Seixal, local onde cresceu.

O briefing feito pela banda, contou Vhils à Lusa, teve, como ponto de referência, os murais políticos irlandeses, «que têm uma carga política de intervenção muito forte», e na zona onde Alexandre Farto cresceu, foram feitos muitos murais após o 25 de Abril de 1974.

O desenvolvimento do vídeo foi seguido de perto pela banda. «Eles acompanham sempre muito os projetos. Tive feedback logo desde o início. Gostaram imenso e isso é bom», afirmou o artista.

Além de Vhils, «Films of Innocence» conta com a participação de Oliver Jeffers, Robin Rhode, D*Face, Mode 2, Chloe Early, Ganzeer, Maser, ROA, DALeast e Todd James.

Cada um dos artistas criou um vídeo para cada uma das canções do mais recente álbum dos U2, «Songs of Innocence», que saiu em setembro, em formato digital, numa parceria com a empresa Apple, tendo tido edição física em outubro.