A cantora australiana Sia, que acaba de editar o álbum "This is acting", vai atuar em agosto no festival Meo Sudoeste, na Zambujeira do Mar, concelho de Odemira, anunciou esta quinta-feira a organização.

O festival está marcado de 03 a 07 de agosto, sendo que Sia, que já esteve em Portugal no tempo em que integrava os britânicos Zero 7, atuará no dia 06.

Sia Furler tem 40 anos e editou sete álbuns de estúdio, mas recentemente foi descrita, pelo jornal The New York Times, como uma fábrica de fazer êxitos, por causa das músicas que já escreveu para outros artistas, como Rihanna, Beyoncé, Britney Spears e David Guetta.

A cantora lançou o primeiro álbum "OnlySee" em 1997, ainda na Austrália, depois da rutura dos Crip, grupo do qual fazia parte. Pouco depois mudou-se para Londres, entrou nos Zero7 e, na volta do milénio, lançou o segundo disco, "Healing is difficult", seguindo-se, em 2004, "Colour the small one".

Foi deste álbum que saiu possivelmente o primeiro grande êxito de Sia, “Breathe me”, utilizado no final da série televisiva “Sete palmos de terra”, e que só nos Estados Unidos vendeu mais de 1,2 milhões de cópias.

A fama da cantora foi proporcional à aversão à exposição pública e a uma defesa da vida privada, marcada por problemas de saúde, de dependências e de uma tentativa de suicídio. Mais recentemente, as aparições - e atuações - públicas de Sia fazem-se sem se vislumbrar o rosto, quase sempre debaixo de uma máscara ou de uma farta cabeleira.

Em 2014, depois de uma pausa, Sia editou o álbum “1000 forms of fear”, que inclui outro dos êxitos discográficos, o tema “Chandelier”, que ultrapassou a fasquia dos dois milhões de vendas.

Sia começou 2016 com a edição de um novo registo, “This is acting”, que inclui, nos créditos, nomes como Adele, Tobias Jesso Jr, Kanye West e Jesse Shatkin, com quem escreveu “Chandelier”.