No segundo dia do Vodafone Paredes Coura, a estreia dos Alabama Shakes e dos Unknown Mortal Orchestra são a garantia de que o festival começa a «aquecer» na praia fluvial de Taboão.

O primeiro álbum dos Alabama Shakes, «Boys & Girls», editado em 2012, foi recebido com boas críticas.

«Um vocabulário rítmico que provém naturalmente e em partes iguais do psych rock, hard funk, e da soul», foi como Ian Cohen classificou na revista eletrónica Pitchfork, o som dos Unknown Mortal Ochestra, o segundo nome de destaque de hoje do Vodafone Paredes de Coura, ainda com as atuações restringidas só a um palco, revela a Lusa.

Para abrir a noite, pelas 19:45 horas, os The Discotexas Band trazem os ritmos dançáveis e os concertos fecham com a atuação às 00:50 dos DJ Headbirds.

Pelo meio ainda vai ser possível escutar Bombino, um guitarrista tuaregue autodidata que recebeu lições dos vídeos que visionava de Jimi Hendrix ou Mark Knopfler.

O Vodafone Paredes de Coura vai ser também uma oportunidade para ouvir valores consagrados como os Belle & Sebastien, os Calexico ou os Echo & The Bunnymen.

O Vodafone Paredes de Coura é também um local de descobertas e na 21ª edição algumas expectativas concentram-se na folk-rock dos Phosphorescent, que tiveram alguma projeção com o tema «Song from Zula», no rock dos britânicos Palma Violets, no electro-rock australiano dos Jagwar Ma e no pop experimental dos The Knife.