Os The Stranglers, banda formada em 1974, regressam esta sexta-feira a Vilar de Mouros 32 anos depois de terem pisado os palcos do mítico festival, em 1982.

A comemorar 40 anos de carreira, a banda punk rock autora de «Golden Brown» e «Always the Sun» é a terceira a atuar (22:30) no segundo dia do festival que regressou este ano ao concelho de Caminha, depois de oito anos de ausência.

De volta ao festival minhoto está também José Cid, que esteve pela primeira em Vilar de Mouros em 1971, mas no Quarteto 1111. É o primeiro a subir ao palco principal às 19:00.

Outro regresso é o dos Blasted Mechanism, que atuam às 21:00, 11 anos depois da primeira presença naquele que já foi considerado o «Woodstock» à portuguesa.

A Pedro Abrunhosa caberá encerrar o segundo dia de Vilar de Mouros, 43 anos depois da primeira edição do festival fundado pelo médico António Barge.

No palco histórico, por onde já passaram os U2, realizam-se os «Vilar de Mouros Sunset». Hoje às 17:00 atuam os Trio Págu (MPB) e às 18:15 os Budda Power Blues (Blues).

A edição de 2014 é organizada pela Fundação AMA - Associação dos Amigos dos Autistas, pela Câmara de Caminha e pela junta de freguesia de Vilar de Mouros.

As receitas do festival, considerado um exemplo de projeto de economia social, reverterão na íntegra para a construção de um edifício, em Viana do Castelo, de apoio a pessoas com autismo.

Com as verbas angariadas no festival, a Fundação AMA pretende construir o edifício multifuncional em Viana do Castelo, para reforçar a capacidade de resposta, que já chega a 150 famílias com casos de perturbações do espetro do autismo.

As obras de construção do edifício, que deverá custar cerca de 3,5 milhões de euros, deverão arrancar ainda este ano.