O fadista Carlos do Carmo, com 50 anos de carreira, partilha este sábado o palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, com Camané, Ricardo Ribeiro, Mariza, Carminho, Mafalda Arnauth, Aldina Duarte, Marco Rodrigues e Raquel Tavares.

Este é o primeiro concerto de apresentação do álbum «Fado é Amor», no qual partilha a interpretação de diversos fados do seu repertório com estes fadistas.

O segundo concerto está agendado para o próximo dia 12, no Coliseu do Porto. Nos dois espetáculos os fadistas são acompanhados à guitarra portuguesa por José Manuel Neto, à viola, por Carlos Manuel Proença e, à viola baixo, por Marino de Freitas.

Carlos do Carmo, de 74 anos, é filho da fadista Lucília do Carmo e iniciou carreira em 1963, interpretando, entre outros, temas de João Linhares Barbosa, Júlio de Sousa e Frederico de Brito.

«Por morrer uma andorinha», «Trem desmantelado», «Festa na Mouraria», «Canoas do Tejo» são alguns fados do seu repertório, tendo, na década de 1970, feito uma parceria com José Carlos Ary dos Santos, poeta com o qual fez os álbuns «Um homem na cidade» e «Um homem no país».

Desta parceria contam-se, entre outros, «Fado do excursionista», «O Homem das castanhas», «Aquela velhinha» e «Lisboa, menina e moça».

O fadista pisou, entre outros, o palco da Ópera Antiga de Frankfurt e o do Canecão, do Rio de Janeiro, e já atuou várias vezes nos Coliseus, tendo registado em DVD, um dos espetáculos na sala de Lisboa.

Carlos do Carmo tem colaborado de perto e acompanhado as carreiras dos fadistas com quem hoje partilha o palco das Portas de Santo Antão. Com Mariza, entre outros espetáculos, atuou no Royal Albert Hall, em Londres, e com Marco Rodrigues partilhou a interpretação «O Homem do Saldanha».