Um festival de metal que acontece desde 1998 em Barroselas, Viana do Castelo, terá resultado num impacto económico diário para aquela freguesia superior a 20 mil euros na edição deste ano, indica um estudo a divulgar esta sexta-feira, escreve a agência Lusa.

A 16ª edição do festival Steel Warriors' Rebellion (SWR) realizou-se em quatro dias de abril, tal como as anteriores na pequena freguesia de Barroselas, localidade com menos de 4.000 habitantes.

O Barroselas Metalfest, como também é conhecido, chegou a receber por dia, na edição deste ano, 5.000 pessoas, sobretudo de Portugal e Espanha.

Um estudo envolvendo um universo de 1.252 pessoas que participaram nesta última edição, ao qual a agência Lusa teve acesso, concluiu que o impacto direto dos gastos efetuados pelos visitantes em Barroselas, em alimentação, alojamento, transporte, aluguer de viaturas, bares ou comércio a retalho, atingiu, por cada dia do festival, os 12.866,60 euros.

De acordo com o mesmo estudo, elaborado pelos investigadores Jorge Coelho e Miguel Brázio, o impacto «deste novo dinheiro» na economia da freguesia envolve um efeito «multiplicador» sobre as vendas que permite estimar um impacto total sobre as vendas, nas diversas categorias, de 21.873,21 euros por dia, apenas sobre este universo de participantes.

«Relativamente ao indicador emprego, dada a dimensão do festival, refere-se que o mesmo ajuda o comércio local a manter postos efetivos de trabalho, e proporciona a contratação temporária de pessoas que se envolvem num staff composto por 110 elementos, em 2013», aponta o estudo, que resultou de inquéritos realizados durante a 16ª edição e que será apresentado esta sexta-feira, em Barroselas.

O Barroselas Metalfest foi fundado pelos irmãos Ricardo e Tiago Veiga em 1998, então com 17 e 18 anos, mas enfrentou inicialmente várias críticas, localmente, face ao estilo musical pouco habitual para aquela região. Na edição de 2001, incidentes e atos de vandalismo registados no cemitério local chegaram a ameaçar a sua continuidade.

O SWR, que continua a ser organizado pelos dois irmãos de Barroselas, acabou por assumir-se nos últimos anos como uma referência na península ibérica e na edição deste ano envolveu 55 bandas de 22 países diferentes, em três palcos.

De acordo com o estudo «The economic impacts of subcultures events and the relation with local tourism development: The case of Steel Warriors Rebellion Barroselas Metalfest in Northern Portugal», 68,5 por cento do universo de festivaleiros avaliado correspondia a homens e a idade média situou-se nos 27,6 anos.

Em média, os grupos que se formaram para assistirem ao festival, provenientes de toda a Europa, reuniam praticamente quatro pessoas, mas o máximo identificado chegou a um grupo único com 30 festivaleiros.

Os autores deste estudo apontam que a realização do Barroselas Metalfest, «embora associado a uma subcultura, tem vindo a traduzir-se numa oportunidade», através «do esforço individual e coletivo da comunidade».

«Na sua essência é a música enquanto arte universal que ultrapassa barreiras geográficas, criando motivação suficiente, dando lugar ao multiculturalismo, aproximando gerações e dinamizando o desenvolvimento local», constatam.