O contrato proposto pelo Youtube às editoras de música independentes foi publicado na íntegra no site de música «Digital Music News».

Depois de o Youtube não ter chegado a acordo com as editoras independentes quanto aos termos de um novo serviço de «streaming», começou a guerra entre o gigante da Google e as editoras.

Agora, as 32 páginas do contrato podem ser analisadas com detalhe, incluindo uma das cláusulas que está no cerne da discórdia e que se prende com a capacidade de as grandes editoras poderem influenciar as taxas de pagamento às editoras independentes.