A estrela pop Taylor Swift doou na terça-feira 250 mil dólares à também cantora Kesha para a ajudar a custear o processo judicial contra o seu produtor, Dr. Luke, a quem acusa de violação, informou a Billboard.

A 19 de fevereiro, o Supremo Tribunal de Nova Iorque determinou que Kesha não pode gravar discos à margem do contrato que a vincula a Dr. Luke, que a cantora diz ter abusado “física e emocionalmente” dela.

Kesha afirmou, além disso, que Dr. Luke a drogou e a violou há uma década, acusações que o produtor musical negou.

Lady Gaga, Ariana Grande, Lorde e Demi Lovato também manifestaram publicamente o seu apoio a Kesha face à decisão do Supremo.

A norte-americana de 28 anos assinou, quando tinha 18, um contrato de oito discos com a Kemosabe Records, produtora de Dr. Luke, que controla a sua carreira.

Em outubro de 2014, Kesha entrou com uma ação em tribunal contra o produtor, pedindo o fim do contrato e alegando abusos sexuais.

Lukasz Gottwald alega que está a ser alvo de um processo de difamação.