Justin Bieber saiu em liberdade durante a manhã de quinta-feira depois de ter passado várias horas na esquadra da polícia de Miami Beach. Apresentado perante um juiz através de videoconferência, o cantor foi acusado formalmente de conduzir sob a influência de álcool e drogas, de não possuir uma carta de condução válida, e de resistir (sem violência) à sua detenção.

A fiança de 2500 dólares (cerca de 1800 euros) foi paga por Scooter Braun, manager de Justin Bieber, que escreveu no Twitter que tudo fará para ajudar o seu cliente e amigo.

«Adoro-te e irei agir como alguém que realmente se importa contigo. É tudo o que tenho a dizer», afirmou Braun.





Segundo o site TMZ, a família e amigos próximos de Justin Bieber têm tentado convencer o cantor a submeter-se a terapia psicológica para enfrentar as atitudes cada vez mais problemáticas e o consumo de álcool e drogas. No entanto, Bieber rejeita necessitar de ajuda.

Ainda assim, o músico canadiano de 19 anos poderá ser mesmo obrigado pelo tribunal a receber apoio psicológico - não pelas acusações de que é alvo na Flórida, mas sim pelo também recente ataque com ovos à casa de um dos seus vizinhos, na Califórnia, uma ofensa considerada crime.