David Bowie terá sido “cremado em segredo” em Nova Iorque, sem a presença de amigos ou da família, cumprindo uma vontade expressa pelo músico de que não queria um funeral. Bowie morreu no último domingo, vítima de cancro do fígado, 18 meses após o diagnóstico e apenas quatro dias depois de completar 69 anos.
 
De acordo com a imprensa internacional, David Bowie terá sido cremado, ainda no domingo, pouco depois de ter morrido, “sem qualquer alarido”.
 
Os jornais do Reino Unido adiantam que o músico britânico que vivia nos Estados Unidos tinha manifestado aos amigos que não queria funeral. O tabloide Daily Mirror acrescenta que David Bowie queria ser recordado pelas coisas boas que tinha feito e, sobretudo, pela sua música.
 
Bowie terá sido muito preciso, quando disse à mulher, Iman, o que queria que fosse feito após a sua morte. “Ele queria desaparecer sem alarido, sem espetáculo, sem desfile de fãs. Era completamente o seu estilo. O ultimo álbum, “Blakstar”, foi já uma despedida aos fãs”, diz uma fonte não identificada citada pelo Daily Mail.
 
Apesar desses últimos desejos, estão já agendados vários concertos de homenagem ao músico nascido em Londres. Os Brit Awards, no próximo mês, ser-lhe-ão dedicados.