O músico britânico Benjamin Clementine regressa esta semana a Portugal, depois de uma série de concertos esgotados em 2015, desta vez acompanhado de uma banda maior, para atuações em Lisboa, Porto e Coimbra.

O músico estará esta quarta-feira no Coliseu de Lisboa, na quinta-feira, no Coliseu do Porto e, na sexta-feira, no renovado Convento São Francisco, em Coimbra, onde o concerto já está esgotado.

Neste regresso, Benjamin Clementine estará acompanhado de uma formação alargada com um quarteto de cordas, bateria e contrabaixo. O músico voltará a estar ao piano.

Músico autodidacta, Benjamin Clementine esteve pela primeira vez em Portugal, no Verão passado, no festival Super Bock Super Rock, meses depois de ter editado o álbum de estreia, "At least for now".

No final do ano, deu outros cinco concertos, todos esgotados, em Braga, Aveiro, Porto, Lisboa e Faro.

"At least for now" valeu a Benjamin Clementine, 27 anos, o Mercury Prize 2015, atribuído pela indústria fonográfica britânica.

O músico e poeta nasceu em Londres e, aos 16 anos, saiu de casa. Nesse processo de independência, Benjamin Clementine viu-se, ainda antes dos vinte anos, em errância em Paris, onde chegou a dormir na rua e a tocar em estações de metro, até ter sido descoberto por uma pessoa ligada à música.

Em 2013, editou o EP "Cornerstone", seguido, em 2014, do EP "Glorious You". O primeiro álbum, que inclui temas como "Condolence", "London" e "Nemesis", saiu em 2015.

Participou ainda no álbum "Encores", do músico francês Charles Aznavour, 92 anos, que Benjamin Clementine descreveu como "um deus".