Os músicos da banda Eagles of Death Metal, num comunicado divulgado esta quarta-feira, afirmam-se "horrorizados" com os atentado de sexta-feira, em Paris, tendo cancelado a digressão que passava por Lisboa, iniciando quinta-feira o reembolso dos bilhetes.

Em comunicado, a promotora anuncia que "o reembolso dos bilhetes poderá ser efetuado a partir de [quinta-feira], no respetivo local de compra, até 30 dias após a data prevista para o concerto (prazo termina no dia 09 de janeiro de 2016)".

Um dos alvos dos terroristas na passada sexta-feira à noite, em Paris, foi a sala de espetáculos onde a banda norte-americana atuava, o que levou ao cancelamento da digressão europeia que terminaria em dezembro, na capital portuguesa.

Os elementos da banda sobreviveram ao ataque, sem qualquer ferimento e, em comunicado divulgado no seu 'site' afirmam: "A banda regressou a casa e está segura, mas nós estamos horrorizados e ainda a tentar perceber o que aconteceu em França. Os nossos pensamentos e corações estão em primeiro lugar com nosso irmão Nick Alexander, nossos camaradas da discográfica, Thomas Ayad, Marie Mosser e Manu Perez, e todos os amigos e fãs cujas vidas foram tiradas em Paris, assim como com os seus amigos, famílias e ente queridos".

A banda decidiu terminar a digressão europeia, que deveria terminar a 10 de dezembro no Armazém F, em Lisboa.

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, os Eagles of Death Metal têm como elementos principais Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos, são conhecidos pelo seu humor e seguidores do espírito “sexo, drogas e rock and rol”.

No comunicado, a banda afirma-se enlutada pelas vítimas dos atentados, pelos fãs, os cidadãos de Paris, e todos os que foram afetados pelo terrorismo.

"Estamos orgulhosos de estar juntos, com a nossa nova família, agora unidos num objetivo comum de amor e compaixão", escreveram os músicos.

A banda expressou ainda o seu agradecimento às diligências da Polícia francesa, do FBI, aos Governos de França e dos Estados Unidos "e, especialmente, a todos aqueles que, na zona de impacto, como nós, se ajudaram uns aos outros da melhor forma possível, durante essa provação inimaginável, provando mais uma vez que o amor ofusca o mal".

Os Eagles of Death Metal terminam o comunicado com a proclamação "Vive la musique, vive la liberté, vive la France, vive EODM [Eagles Of Death Metal]".