A Steve Rothery Band, do fundador da banda de rock progressivo Marillion, estreia no sábado, em Santo Tirso, o seu último álbum «The Ghosts of Pripyat», num concerto integrado na 21.ª edição do Festival Internacional de Guitarra, revelou a autarquia.

«"The Ghosts of Pripyat" é o nome do álbum que a Steve Rothery Band vai apresentar pela primeira vez ao público português. O CD só será lançado em setembro [dia 22], mas no próximo sábado o fundador e guitarrista dos Marillion vai dar a conhecer o seu último trabalho», refere nota da autarquia de Santo Tirso.

O espetáculo está agendado para sábado, pelas 21:30 horas, no auditório Eng. Eurico de Melo, estando integrado no Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso que decorre desde 16 de maio e termina a 06 de junho.

A Steve Rothery Band integra o guitarrista fundador da inglesa Marillion, sendo este um dos concertos que se enquadra na aposta da organização do festival deste ano de apresentar as várias tendências da guitarra e não apenas a vertente tradicional. É expectável que sábado o concerto seja marcado por rock progressivo.

«A música deste aguardado álbum está repleta de solos de guitarra e das harmonias que caraterizam as composições de Steve Rothery, num estilo melódico. Para além do conhecido guitarrista, a banda é, ainda, composta por Dave Foster (guitarra), Leon Parr (bateria), Yatim Halimi (baixo)», completa a nota da autarquia de Santo Tirso.

Antes, na sexta-feira, o evento reserva-se aos sons tradicionais da Turquia através do concerto do Aslan-Moyano Duo, no Centro Cultural de Vila das Aves, pelas 21:30 horas.

«Ambos [músicos] são presença regular em concertos em todo o mundo. Mete Aslan já tocou, entre outras, com a Orquestra Sinfónica da BBC e a Orquestra Filarmónica de Berlim. Ricardo Moyano é vencedor de vários prémios internacionais», refere o texto de apresentação do festival.

O Festival Internacional de Guitarra é organizado pela Câmara de Santo Tirso, em parceria com a ARTAVE (Escola Profissional e Artística do Vale do Ave) e o Centro Cultura Musical (CCM), tendo um investimento na ordem dos 50 mil euros.