«Para os nossos vizinhos:

Que outono lindo! Todo o brilho e o dourado e toda aquela luz incrivelmente ténue. Água à nossa volta. O Lou e eu passámos muito tempo aqui nos últimos anos, e, apesar de sermos pessoas da cidade, esta é o nosso lar espiritual. Na semana passada, eu prometi ao Lou tirá-lo do hospital e trazê-lo para casa, em Springs. E conseguimos!

O Lou era mestre de tai chi e viveu os seus últimos dias aqui, a ser feliz e a deslumbrar-se com a beleza, o poder e a calma da natureza. Ele morreu no domingo de manhã, olhando as árvores e fazendo o famoso movimento 21 do tai chi apenas com as suas mãos de músico movendo-se no ar.

O Lou era um príncipe e um lutador, e eu sei que as suas canções sobre a dor e a beleza do mundo vão encher muitas pessoas com a alegria incrível que ele sentia pela vida. Longa vida à beleza que entra, atravessa e nos envolve a todos.»