Vários artistas estão contra a “lei da casa de banho”, que, entendem, representa um recuo nos direitos civis dos homossexuais e transsexuais. A lei, que entra em vigor em julho, permite a certas instituições, com base nas suas convicções religiosas, negarem a prestação de serviços a gays e lésbicas. A lei em causa, designada de HB2, impede, por exemplo, que os transsexuais frequentem as casas de banho públicas do género com que se identificam.

Bryan Adams escreveu que a nova lei é “incompreensível” e prefere usar a sua “voz em solidariedade” contra a discriminação.

 

Mississippi has passed anti-LGBT ‘Religious Liberty’ bill 1523. I find it incomprehensible that LGBT citizens are being...

Publicado por Bryan Adams em  Domingo, 10 de Abril de 2016

 

Bryan Adams seguiu o exemplo de Bruce Springsteen, que cancelou dois concertos na Carolina do Norte.

A companhia PayPal, por seu turno, também anunciou o cancelamento de um investimento de milhões de dólares na Carolina do Norte em protesto com a lei anti-gay, de acordo com o New York Times.