A família de Marvin Gaye avançou com um processo judicial, acusando de plágio os autores do single «Blurred Lines», Robin Thicke e Pharrell Williams, noticia a BBC News.

Nos documentos entregues em tribunal, três dos filhos de Gaye dizem que o recente êxito cantado por Thicke copia vários elementos de «Got To Give It Up», um original de Marvin Gaye lançado em 1977.

A acusação surge também apoiada por excertos de entrevistas que o próprio Robin Thicke deu durante os últimos meses, alegadamente admitindo que se inspirou na canção de Gaye.

Para além de «Blurred Lines», o processo menciona ainda a suposta cópia de partes de «After The Dance War», de 1976, noutro tema de Thicke: «Love After War», de 2011.

Os herdeiros do falecido cantor reclamam uma indemnização que inclua parte dos lucros das vendas das duas canções de Robin Thicke, e lamentam ainda que a editora EMI, detentora do catálogo de Marvin Gaye, não tenha defendido o legado deste.

Em resposta, a Sony/ATV, dona do publishing da EMI, já veio a público afirmar que «leva muito a sério» a defesa dos direitos de autor dos seus artistas, mas que neste caso, não existe matéria para qualquer acusação de plágio.

«Avisámos repetidamente o advogado da família Gaye que as duas canções em questão foram examinadas por um musicólogo de topo que concluiu que "Blurred Lines" não infringiu [os direitos de autor] de "Got To Give It Up"», disse a Sony/ATV em comunicado.