Duas cassetes com uma entrevista a John Lennon, em que o ex-Beatle relata «o inferno» por que passou para seguir em diante com o álbum «Let It Be», vão a leilão em setembro, escreve a agência Lusa.

A entrevista foi feita, em 1969, pelo jornalista Howard Smith, que trabalhava na publicação «Village Voice».

As cassetes, originais, estiveram guardadas num caixote no apartamento do jornalista, em Nova Iorque, informou em comunicado a leiloeira RR Auction, que as vai vender na Internet, de 19 a 26 de setembro. O preço-base estimado rondará entre os cinco mil e os dez mil dólares (cerca de 3800 a 7600 euros).

Com mais de uma hora de duração, a entrevista foi realizada em Toronto, no Canadá, antes do lançamento de «Let It Be».

«Estávamos no inferno. É uma tortura cada vez que produzimos qualquer coisa», admite Lennon, numa referência ao processo de gravação do álbum por que a banda britânica teve de passar, «como nunca antes, para seguir em diante».

Lennon assegura que a banda «não queria realmente» lançar «Let It Be» e que foi Paul McCartney, outro elemento do grupo, quem pressionou para editar o álbum, que acabou por sair incompleto.

A luta entre os quatro músicos para incluir as suas canções nos discos também é mencionada por Lennon.

Na entrevista, não editada, Lennon relata, ainda, as dificuldades de convivência entre todos os membros da banda durante as digressões.

«Era uma verdadeira loucura, desde manhã até à noite, não havia um momento de paz. Vivemos todos juntos numa habitação durante quatro anos de digressões», desabafa o músico, que foi assassinado a 8 de dezembro de 1980, à porta de sua casa em Nova Iorque.

As cassetes fazem parte de um lote de mais de cem objetos dos Beatles que vão a leilão.