O baterista dos Jamfumega, Álvaro Marques, está a ser acusado de desviar indevidamente 1,4 milhões de euros, noticia o «Diário de Notícias».

Segundo o jornal, sobre o músico e antigo administrador da Reficel recaem três acusações de «burla qualificada», uma acusação de «insolvência dolosa», e uma acusação de «fraude na obtenção de subsídio», estando este último caso relacionado com o desvio de 1,4 milhões de euros de subsídio da União Europeia «destinados a uma fábrica de reciclagem de papel».

O «DN» adianta ainda que o julgamento do baterista dos Jafumega foi adiado para abril de 2014, depois de ter sido inicialmente marcado para o passado mês de novembro.

Os Jafumega regressaram ao ativo em 2013, 30 anos depois da separação da banda, atuando nos coliseus do Porto e de Lisboa em maio.

No passado sábado, o grupo de Luís Portugal (voz), Mário Barreiros (guitarra), José Nogueira (saxofone, teclados), Eugénio Barreiros (voz, teclados), Pedro Barreiros (baixo) e Álvaro Marques (bateria) deu um concerto em Matosinhos.