A nova digressão dos U2, a "Experience + Innocence Tour", chega este fim de semana a Portugal, com a banda irlandesa a dar dois concertos, no domingo e na segunda-feira, na Altice Arena, em Lisboa, praticamente esgotados.

Esta será a sexta vez que os U2 atuam em Portugal, oito anos depois de terem feito dois concertos lotados no Estádio Cidade de Coimbra, em outubro de 2010: Em 1982, tocaram no festival de Vilar de Mouros e em 1993, 1997 e 2005 atuaram no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.

A atual digressão começou em maio nos Estados Unidos, mas a etapa europeia só arrancou no início deste mês, num concerto atribulado em Berlim, interrompido por problemas vocais de Bono.

Apesar de ser um regresso a Portugal - onde até já foram condecorados pelo Presidente da República -, para os U2 será uma estreia em recinto fechado perante os portugueses.

Se se mantiver o plano das datas mais recentes, os U2 deverão tocar em Lisboa mais de 20 músicas, com o alinhamento cenicamente dividido entre dois palcos, um com mais destaque visual e outro mais intimista.

Embora os dois registos mais recentes, "Songs of Innocence" (2014) e "Songs of Experience" (2017), sejam a razão de ser da digressão, deverá haver muito espaço para pegar no retrovisor e olhar para a carreira, que começou em 1976 em Dublin.

Os U2 chegam a Lisboa depois de quatro datas em Paris, onde tocaram temas como "Beautiful Day", "Elevation", "Sunday Bloody Sunday", "I will follow" e "City of blinding lights". Abriram com "The blackout" e fecharam com "13 (There is a light)", ambos de "Songs of Experience".

Os U2 integram Bono, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr.