O Festival «Aqui mora o fado», que se realizou na sexta-feira e sábado em onze espaços do bairro lisboeta de Alfama, registou 11.700 espetadores, disse hoje fonte da organização à Lusa.

O cartaz do festival contou com nomes como Frei Hermano da Câmara, Maria da Fé, Ricardo Ribeiro, Maria Armanda, Filipa Cardoso, Gonçalo Salgueiro, António Zambujo e Ana Moura, entre outros.

Os espetáculos decorreram em espaços fechados como as igrejas de S. Miguel e de S. Vicente, e ao ar livre como na Fonte do Poeta, no Largo das Alcaçarias ou num palco junto ao rio Tejo.

No sábado, Maria da Fé, com 55 anos de carreira, considerou o festival, que se realiza pelo segundo ano consecutivo, uma iniciativa «fascinante», e antes de iniciar a sua atuação dirigiu-se ao público e afirmou: «obrigado por gostarem de fado».

O festival juntou nomes consagrados com novos talentos, a quem foi dedicado o palco instalado na Sociedade Recreativa Boa União, onde atuaram, entre outros, Joana Vales, Diana Vilarinho, Bárbara Santos, Tiago Correia e José Luís Geadas.

Maria da Fé apresentou também no seu espetáculo uma voz que qualificou de «promissora e com muito talento», Liliana Silva.

Da programação do festival fez ainda parte a apresentação de novos projetos, designadamente os «Urbanos" e "Urbanas», liderados pelo músico Diogo Clemente, e uma homenagem ao fadista Fernando Maurício, falecido em julho de 2003, e «Cantar é rezar», com Matilde Cid, Carmo Moniz Pereira e Francisco Salvação Barreto.

«Até Deus gosta de Fado» foi outro projeto apresentado, com a participação Peu Madureira, Rodrigo Rebelo de Andrade, Cláudia Picado e José Gonçalez, entre outros.

O cartaz do festival incluiu ainda os concertos a solo dos guitarristas Mário Pacheco e José Manuel Neto e do pianista Júlio Resende, que tocou fados do repertório de Amália Rodrigues.

Anita Guerreiro, Maria da Nazaré, Carminho, Vicente da Câmara, Ana Laíns e Lenita Gentil, Pedro Moutinho, Aldina Duarte, e Cuca Roseta foram alguns dos nomes que também participaram no festival.