Estiveram para chamar-se Neruda Picasso Escobar, mas lançam-se agora simplesmente como Neruda. O disco de estreia, homónimo, chegou esta semana às lojas através da Universal Music Portugal.

Pablo Banazol é o principal compositor e letrista de um projecto que deu os primeiros passos de forma pouco convencional.

«Começámos um bocado ao contrário do que é normal. Como ainda somos uma banda desconhecidíssima, ainda não tivemos oportunidade de tocar ao vivo e optámos por outro processo - chegarmos ao disco primeiro e a partir daqui vamos fazer o resto», afirmou Pablo ao IOL Música.

O primeiro single dá pelo nome de «O Vinho do Teu Corpo» - uma canção de ambiente romântico e que a banda não rejeita divulgar através de telenovelas.

«Nós, como não temos esse preconceito, achamos que é uma forma de comunicarmos a nossa música. É a nossa música que lá está - independentemente dos personagens, porque fomos nós que a gravámos nas mesmas circunstâncias que a iremos tocar num festival, nas mesmas circunstâncias que a iremos tocar numas festas populares», explicou o baterista Bruno Vaz.

Quanto a expectativas, os Neruda reconhecem que, por enquanto, são uma banda quase desconhecida, mas acreditam no trabalho feito em estúdio.

«Fizemos o melhor possível. Estamos todos muito empenhados nisto. Gostamos daquilo que fazemos e gostamos do disco. Damos sempre o nosso melhor. Portanto, tudo o que vier, é bom», comentou o guitarrista Tiago Reis.

Vê aqui o vídeo da entrevista com os Neruda: