A Naifa leva novo álbum em digressão pelo país

«Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes» é lançado em Fevereiro e apresentado ao vivo a partir de Março

Por: Redação / AC    |   31 de Janeiro de 2012 às 12:30
O grupo A Naifa vai estar em digressão pelo país a partir de março com o novo álbum, «Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes», que sai em Fevereiro e é o primeiro desde a morte do músico João Aguardela, um dos fundadores da banda.

A banda portuguesa já tem concertos marcados para Março, sendo que o novo álbum começa a ser apresentado em Arcos de Valdevez, a 2 de Março e no no Theatro Circo de Braga, no dia seguinte.

A digressão de «Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes» continua no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, no dia 7 de Março, Casa da Música, a 12 de Abril e Teatro Municipal de Almada, a 20 de Abril).

A última data, até agora confirmada é para os Açores, no Faial, a 5 de Maio.

«Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes» tem 11 temas compostos pelo grupo a partir de textos de Adília Lopes, Ana Paula Inácio, Margarida Vale de Gato, Maria do Rosário Pedreira e Renata Correia Botelho.

Antes de chegar às lojas, o novo álbum terá edição digital através de uma aplicação gratuita para telemóveis, que permitirá ouvir progressivamente as canções novas, escreve a agência Lusa.

Nos concertos, o grupo também terá à venda o álbum em CD e em vinil.

A estratégia parte da vontade do grupo de fazer chegar às pessoas as canções do novo álbum, contornando o facto das rádios passarem poucas vezes a música da Naifa e de as lojas nem sempre terem os discos disponíveis, explicou Luís Varatojo à Lusa.
PUB
EM BAIXO: A Naifa
A Naifa
COMENTÁRIOS

PUB
Grécia pode receber créditos de emergência para evitar "crise humanitária"

Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, admite conceder créditos de emergência ao país helénico como medida de transição. Schulz diz que Alexis Tsipras conduziu os gregos a um beco sem saída, mas que a população "não tem culpa disso". Na véspera da realização do referendo que pode ditar o futuro da Grécia, o clima de tensão mantém-se. O ministro das Finanças alemão admite que os gregos poderão estar a escolher entre o euro e o dracma. Já Yanis Varoufakis diz que o que a Europa está a fazer à Grécia é "terrorismo"