Robbie Williams revelou que está a lutar contra uma doença mental, que tornou a sua vida numa "montanha-russa". Em entrevista ao The Sun, o músico britânico contou que nos últimos anos teve de "lidar com as provocações e as aflições do que acontece" na sua cabeça. 

"A tendência é a de estragar tudo. Tenho uma doença que me quer matar e que está na minha cabeça, por isso tenho de me defender dela", afirma.

O cantor, de 44 anos, nunca diz qual é a patologia de que sofre, mas refere que com a doença contra a qual luta age de uma maneira que "às vezes o oprime".

"Outras vezes é uma ferramenta de que preciso para entrar em palco. Felizmente ou infelizmente, se me deixarem por conta própria, a tendência é a de estragar tudo. Mas, a maior parte do tempo sou humano - a ter uma experiência humana, a tentar lidar com lidar com as provocações e as aflições do que acontece entre as minhas orelhas".

Na mesma entrevista, Robbie Williams revelou ainda que percebeu que tinha um problema quando tinha apenas 19 anos. Depois de uma reabilitação no início dos seus 20 anos, voltou a ter recaídas e foi internado no dia do seu 33.º aniversário quando, segundo ele, estava a "24 horas da morte".

O cantor falou ainda como a morte de George Michael o afetou, de como sente saudades do amigo e de como a sua vida "tem sido uma montanha-russa muito parecida" à que foi vivida por George Michael.

"Sinto muito a falta dele. Gostaria que ele estivesse aqui. O ano de 2016 foi um ano terrível em que desapareceram heróis de toda a gente", recorda o cantor, acrescentando que todas estas mortes o fizeram perceber de que "não é imortal" e que vai cuidar de si..

"Dás-te conta de que, inclusivamente se tens tudo o que eu tenho, não és invencível. Por isso, e de agora em diante, vou cuidar mais de mim", remata.