O sambista Wilson das Neves morreu na noite de sábado, aos 81 anos, no hospital da Ilha do Governador, do Rio de Janeiro, onde estava internado, com um cancro.

Conhecido no meio artístico brasileiro pelo bordão “Ô Sorte!”, Wilson das Neves era baterista, instrumentista, compositor e cantor.

Era, sobretudo, sambista, como cantava: “É no samba que eu vivo/Do samba é que eu ganho o meu pão/E é no samba que eu quero morrer/De baqueta na mão/Pois quem é de samba/Meu nome não esquece mais não”.