Uma dezena de organistas participa, a 12 de setembro, num concerto 'non stop' de órgão, na Igreja de S. Vicente de Fora, em Lisboa, iniciativa integrada na comemorações dos 250 anos da construção daquele exemplar único do património instrumental português.

Fonte da organização disse à Lusa que, entre os organistas do concerto se contam José Luís González Uriol, especialista em música ibérica pré-romântica para instrumentos de tecla, André Ferreira, Sérgio Silva e João Vaz, atual titular do órgão de São Vicente de Fora.

Além deste concerto, o ciclo comemorativo dos 250 anos do órgão da igreja de S. Vicente de Fora, iniciado em abril passado, já contou com concertos dos organistas Isabel Albergaria, Sylvie Perez, António Esteireiro e José Luis González Uriol.

O ciclo termina a 12 de dezembro, com o titular, o organista, professor e investigador João Vaz, num concerto em que é solista o cornetista Tiago Simas Freire.

Construído em 1765 por João Fontanes, o órgão de São Vicente de Fora "tem a vantagem de se encontrar em estado quase original", disse à Lusa João Vaz.

O órgão teve "uma intervenção de restauro de pouca monta, em finais do século XIX, e novamente no século seguinte", em 1956/1957 e, depois, em 1977.

A última intervenção, mais profunda, concluída em 1994, foi realizada por Claudio e Christine Rainolter e repôs materiais originais, segundo a mesma fonte.

Segundo João Vaz, este é "um dos mais importantes e representativos instrumentos barrocos portugueses". Como explicou, o órgão, de tipologia ibérica, "possui duas secções independentes, órgão principal e órgão de eco, a que correspondem dois teclados manuais de 47 teclas".