A cantora Alberta Adams, conhecida como a «Rainha dos blues» de Detroit,  morreu aos 97 anos, anunciou esta sexta-feira a sua editora.

«Alberta Adams foi realmente a última dos grandes cantores de blues do período após a II guerra mundial», destacou RJ Spangler, que a ajudou a relançar a sua carreira na década de 90, por meio da sua editora de jazz e blues, a Eastlawn.

Nascida em Indianapolis e criada num um lar problemático em Detroit, Adams começou como dançarina de sapateado em clubes da cidade da indústria automóvel, recorda a Lusa.

Adams cedo teve contratos para cantar ao lado de grandes nomes de blues, como T-Bone Walker, Louis Jordan, John Lee Hooker e Cleanhead Vinson, bem como, do jazz, caso especial de Duke Ellington.

Em 1994, Alberta Adams ligou-se à Eastlawn Records, de Spangler, especializada em clássicos de Detroit, e em 1999 lançou o álbum "Born with the Blues", com o guitarrista Johnnie Bassett.

«Ela ainda sabia como entregar as encomendas em palco. Adorei trabalhar com ela, era uma alegria, nunca ficava irritada», afirmou Spangler à agência francesa France Press (AFP).

Ainda segundo Spangler, Adams só parou de dar espetáculos há alguns anos, quando começou a perder audição e o seu quadro geral de saúde piorou.