O músico norte-americano Fats Domino, uma lenda do rock'n'roll e do R&B, morreu esta quarta-feira, aos 89 anos. A informação foi confirmada pela filha ao TMZ, website especialista em notícias de celebridades.

Ainda segundo a filha, Domino morreu rodeado de amigos e familiares, em Nova Orleães, a cidade onde nasceu e passou toda a sua vida. 

Ao longo de quase 70 anos de carreira, o cantor e pianista, que marcou os anos 50 e 60, vendeu mais de 65 milhões de álbuns. Domino colecionou vários sucessos como "Blueberry Hill", "Ain't That a Shame" e "I'm Walkin".

Em 1987, venceu um Grammy de carreira e, em 1998, foi distinguido pelo presidente Bill Clinton com a Medalha Nacional das Artes. Na lista dos "100 Melhores Artistas de Sempre", elaborada em 2004 pela prestigiada revista de música Rolling Stone, Domino surgiu no 25.º lugar. 

Nos anos 80, decidiu parar de dar concertos e ficar apenas pelo recato da sua residência, em Nova Orleães.

Quando o furacão Katrina atingiu Nova Orleães, em 2005, Domino escolheu ficar em casa, com a família, devido ao estado de saúde frágil da mulher. A sua casa localizava-se numa das zonas mais afetadas pelo furacão e o músico chegou a ser dado como desaparecido.

Soube-se depois que ele e a família tinham sido resgatados pelos bombeiros, por helicóptero. A casa onde viviam ficou completamente destruída. 

Depois da passagem do Katrina, o músico foi um dos vários artistas que se mobilizaram em ações e eventos de angariação de fundos para reconstruir a cidade.