Na segunda parte da entrevista exclusiva a Tony Carreira, o cantor falou sobre a sua carreira, as relações em França e a relação com os filhos, que decidiram seguir os seus passos.

«O meu próximo trabalho será para Portugal, já não gravo um disco de inéditos há três anos, salvo erro», revelou Tony Carreira, para gáudio dos fãs portugueses.

Sobre o título do novo trabalho, o cantor «gostava que a canção “Um Resto de Mim” desse título ao disco». «E depois vou ter um disco em França que vai ter por título uma canção genérica que é “O Meu Fado”».

Para o cantor, o seu «grande grande sucesso aconteceu em Portugal», mas isso nunca lhe trouxe nenhum prémio. No entanto, Tony Carreira explicou que «a mágoa já passou», mas que continua a haver preconceito em relação ao seu trabalho.

«Claro que sim. Não tenho dúvidas sobre isso, mas vivo muito bem com isso. E sei que um dia me vão dar [valor], em vida ou não não sei, mas vão-me dar, ou talvez já não deem, com esta boca talvez não me venham a dar. Durante uns anos sofri», afirmou.

Tony Carreira confessou que sempre viveu bem com o facto de o apelidarem de «cantor pimba» porque o «objetivo» do seu trabalho são, «claramente, as pessoas».

«A partir do momento em que eu me sinto reconhecido para quem eu dirijo o meu trabalho, vivo bem com isso. E tenho de ser justo, a comunicação social em Portugal me trata muito bem».

Sobre a comunicação social francesa, Tony revelou que a grande curiosidade nas entrevistas é sobre Portugal e que, por isso mesmo, fica menos «stressado» antes de ser entrevistado.

O cantor português confessou ainda que é fã de Roberto Carlos e Julio Iglesias.

António, o primeiro amigo

A viver em França atualmente, o cantor mostrou, para além da casa, o seu bairro e alguns dos locais que frequenta, entre os quais, a florista de António.

«É o meu primeiro amigo aqui da rua», disse em relação a António, florista em Paris e que ficou muito «atemorizado» quando ele entrou pela primeira vez na loja.

«É uma pessoa espetacular e conheço-o melhor porque ele agora vive cá. Gosto muito dele», confessou o português que ajudou o cantor a decorar a casa para receber a TVI.

«Eu amo a minha carreira acima de tudo, mas não acima dos meus filhos»

«No início foi muito difícil. É sempre muito complicado quando um filho que elege a mesma profissão do pai. Porque não tem tempo para aprender nada, tem logo muita visibilidade».

«Claro que eu não queria que eles seguissem esta profissão», confessou o cantor.

Questionado sobre o que é que queria para os filhos, Tony diz que fosse «o que eles quisessem, menos esta profissão, porque iam ser comparados ao pai», mas confessa que está «orgulhoso das grandes carreiras» que os filhos construíram.

«Nos dias de hoje eu aprendo mais com eles do que eles comigo, por mais experiencia que eu tenha de vida», revelou.

Fernanda, ex-mulher e agente

Apesar de separado de Fernanda, esta continua a ser sua agente e a gerir a sua carreira.
«A Fernanda é o meu agente e espero que seja sempre meu agente. Não tenho melhor agente do que ela», afirmou o cantor, confessando que esse vínculo só cessará se «ela achar que o artista não é interessante».