O trompetista de jazz Clark Terry, com uma carreira prolífica que abrangeu sete décadas, morreu aos 94 anos, anunciou este domingo a mulher do músico no site oficial na Internet.
 

«O nosso querido Clark Terry juntou-se à banda do paraíso, onde cantará e tocará com os anjos. Deixou-nos em paz, rodeado da sua família, dos seus alunos e dos seus amigos», escreveu Gwen Terry.
 

O trompetista, que sofria de diabetes, tinha sido internado no passado dia 13 num estabelecimento de cuidados de saúde, informou a revista especializada no mundo do espetáculo Variety.


Nascido em Saint-Louis (Missouri) em 1920, o músico começou a tocar trompete na adolescência. Tocou em bandas da Marinha dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial e tornou-se depois um dos mais respeitados trompetistas no mundo do jazz.


Clark Terry destacou-se quer como solista quer como acompanhante, tendo integrado duas das mais prestigiadas orquestras de jazz da história, a de Count Basie e a de Duke Ellington.


Tocou ao lado de nomes grandes da música como Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Thelonious Monk, Dizzy Gillespie, Sonny Rollings, Ray Charles ou Quincy Jones. Também colaborou com o 'rei do trompete', Louis Armstrong, e foi um mentor para outra lenda deste instrumento, Miles Davis.


Terry participou em mais de 900 sessões de gravação e ganhou mais de 250 prémios, incluindo um Grammy pela sua carreira.


Mais tarde deu lições de música em liceus e universidades.