O grupo Real Combo Lisbonense edita na segunda-feira o primeiro álbum, «Saudade de você», no qual renova e reinterpreta as canções popularizadas há mais de 60 anos pela cantora portuguesa Carmen Miranda.«A Carmen Miranda é uma extensão natural da música portuguesa. Percebe-se a matriz portuguesa nas músicas dela e foi isso que me chamou a atenção», afirmou à agência Lusa o músico e artista plástico João Paulo Feliciano, fundador do Real Combo Lisbonense.

«Saudade de você - Real Combo Lisbonense às voltas com Carmen Miranda» é o primeiro álbum do grupo e surge cinco anos depois do EP inaugural, homónimo, que assinalou a estreia de um coletivo em torno da música portuguesa dos anos 1950 e 1960, tocada por conjuntos e orquestras.

O princípio de revisitação de um património musical, presente naquele EP de estreia, mantém-se agora neste álbum, mas o foco é «o imenso repertório» de Carmen Miranda, portuguesa de nascença, que se tornou uma estrela da música no Brasil e atriz de Hollywood.

Para o álbum, o grupo não escolheu as canções que mais facilmente identificam Carmen Miranda, mas sim as que se adaptam melhor à 'performance' interpretativa dos músicos.

Ouça aqui um dos temas:






O disco apresenta onze temas, entre sambas e marchas, a maioria em língua portuguesa, como «Na baixa do sapateiro», «Adeus batucada», «O que é que você fazia?» e «Saudade de você», que dá nome ao disco.

Grande parte da pesquisa foi feita através da Internet, com João Paulo Feliciano a ouvir a maioria dos cerca de 300 temas interpretados por Carmen Miranda. A transcrição dos temas originais coube ao guitarrista e compositor Bruno Pernadas e a adaptação é de Tomás Pimentel.

A aproximação ao repertório da artista aconteceu há cerca de um ano, mas o Real Combo Lisbonense só estreou as canções ao vivo, no verão passado, num concerto em Lisboa, a convite da Fundação Calouste Gulbenkian.

«Agora associar as canções de Carmen Miranda ao Real Combo Lisbonense parece natural, mas ao início foi um pouco inesperado», disse.

O Real Combo Lisbonense começou por ter nove músicos. Hoje são doze: Ana Brandão, Joana Campelo, Margarida Campelo, Ian Mucznik, Tomás Pimentel, Sérgio Costa, Bruno Pernadas, David Santos, João Pinheiro, Rui Alves, João Paulo Feliciano e Mário Feliciano.

Os concertos de apresentação de «Saudade de você» estão marcados para 17 e 18 de dezembro, no Teatro Ibérico, em Lisboa, e a 13 de dezembro, em Guimarães.

Consoante a recetividade do álbum, o grupo poderá atuar no Brasil, na Argentina e nos Estados Unidos, seguindo os passos de Carmen Miranda.

«É exequível, mas depende da ressonância do disco cá», afirmou João Paulo Feliciano. A acontecer será em 2015, ano em que se cumprirão 60 anos da morte da artista.

Carmen Miranda (Maria do Carmo Miranda da Cunha) nasceu a 09 de Fevereiro de 1909, em Várzea da Ovelha, uma aldeia de Marco de Canavezes, mas passou grande parte da sua vida do outro lado do Atlântico, entre o Brasil e os Estados Unidos.

Com a alcunha de «pequena notável», Carmen Miranda «introduziu a fala popular na música brasileira», afirmou à agência Lusa Ruy Castro, em 2005, quando foi lançada a biografia da artista.

Morreu nos Estados Unidos a 05 de agosto de 1955, com 46 anos, vítima de ataque cardíaco, depois de ter participado num programa televisivo.

Quando o corpo foi trasladado para o Rio de Janeiro, a cerimónia foi acompanhada por cerca de meio milhão de pessoas.