A cantora Mísia protagoniza, em Buenos Aires, “Giosefine”, um espectáculo a partir de “Carta desde Casablanca”, de Antonio Tabucchi, encenado por Guillermo Heras.

O monólogo “Giosefine” estreia-se no próximo dia 17, no Complejo Teatral de Buenos Aires, na Argentina, onde estará em cena até ao dia 28, noticia a agência Lusa.

Trata-se da estreia mundial em castelhano deste monólogo baseado na narrativa "Carta de Casablanca", do livro "O jogo do reverso", de António Tabucchi (1943-2012), estando previsto a sua apresentação em 2017 em Lisboa, disse Mísia à agência Lusa.

“‘Giosefine’ está pensada para ser representada em quatro línguas: português - espero apresentar em 2017 em Lisboa esta peça -, e ainda em francês e italiano, além do espanhol”, disse Mísia.

Mísia estreou-se em teatro em 2013, no Centro da Malaposta, em Olival Basto, nos arredores de Lisboa, na peça "O matadouro invisível", de Karin Serres, numa encenação de José Martins.

“‘Giosefine’ é a história de um transexual que escreve uma carta à irmã, desde Casablanca, cidade onde as primeiras operações de mudança de sexo costumavam efetuar-se”, contou Mísia à Lusa.

"Sinto Giosefine como um duplo salto mortal entre géneros. Da música ao teatro, de homem a mulher, tento explorar novas identidades artísticas e pessoais, investigando dentro de mim”, disse a artista.

“Saio da minha zona de conforto como intérprete musical, arriscando outros universos como faz a própria personagem de Giosefine”, rematou a criadora de “O manto da rainha”.

Este projeto faz parte do Festival Temps d'Images Lisboa. O responsável pelo desenho de luzes é Pedro Leston, o maestro Fabrizio Romano, que tem acompanhado Mísia, é o director musical da peça, e os figurinos foram desenhados por Maria Gonzaga.

No passado dia 03, Mísia abriu o Festival de Gordes, no sudeste de França, na região de Vaucluse, e está a preparar para o próximo outono a celebração dos seus 25 anos de carreira discográfica.