O maestro Victor Roque Amaro, antigo diretor do Coral Vértice e fundador do Concertus Antiquus, morreu na segunda-feira à noite em Lisboa, vítima de doença prolongada, disse à agência Lusa um amigo do regente.

Segundo a mesma fonte, uma missa cantada será realizada hoje em homenagem ao maestro, a partir das 20:30, na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, com a participação de músicos que consigo trabalharam.




Nascido em Lisboa, em 1950, Victor Roque Amaro foi tenor do Coro Gulbenkian, diretor de agrupamentos como os corais Vértice, Dom Luís I, Educ(ant)are e Corellis, além do Concertus Antiquus, entre outras formações.

Esteve associado à organização do antigo Festival dos Capuchos, fundado por José de Adelino Tacanho, vocacionado para a música pré-romântica, que retomou em 2005, sob o mote "O Jardim das Hespérides".

Formado em Engenharia Civil, pelo Instituto Superior Técnico, Victor Roque Amaro iniciou-se muito cedo na música, sob influência familiar, tendo iniciado os estudos no Seminário de Penafirme (Canto Gregoriano, piano, órgão e polifonia sacra), que prosseguiu no Conservatório de Lisboa e em Cambridge, no Reino Unido, também na área da Musicologia.

Trabalhou com os maestros Michel Corboz, Cristopher Hogwood, Jordi Savall, Ton Koopman, Manuel Morais, Fernando Eldoro, Jorge Matta, entre outros.

Na área da Musicologia, trabalhou com Rui Vieira Nery, Philip Thorby, especialista em música antiga do conservatório inglês de Trinity, Peter Philips, fundador dos Tallis Scholars, e Ivan Moody.

Além de diretor do Coral Vétice durante 20 anos, fundou e dirigiu, entre outros, o Concertus Antiquus, grupo coral e instrumental dedicado à Música Antiga, e o Coro Dom Luís I, por iniciativa do Palácio Nacional da Ajuda.

O corpo de Victor Roque Amaro encontrar-se-á, a partir das 16:00 de hoje, na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, onde será rezada uma missa cantada, às 20:30, de acordo com fonte próxima da família do regente.

Segundo a mesma fonte, o funeral realiza-se na quarta-feira, para o cemitério de Benfica, depois de nova missa, às 12:00, também na Igreja do Campo Grande.