A primeira mulher de John Lennon, Cynthia Lennon, morreu esta quarta-feira na sua casa, em Espanha, aos 75 anos. A informação foi divulgada na página da Internet do filho, Julian, fruto da relação com o músico dos Beatles.

O comunicado esclarece que Cynthia morreu após «uma curta mas corajosa batalha contra o cancro» e que Julian esteve ao seu lado no momento da morte.

«A família agradece as vossas orações. Por favor respeitem a sua privacidade neste momento difícil», lê-se no site.


No Twitter, Julian Lennon, que seguiu as pisadas do pai no mundo da música, partilhou uma imagem de homenagem à mãe.
 
Cynhtia conheceu o músico que integrou os Beatles na escola de artes em Liverpool, em 1957. Os dois casaram antes de a banda inglesa se ter tornado um fenómeno mundial que transformou John Lennon num dos homens mais conhecidos do mundo.

O casal acabou por se divorciar em 1968 depois de Cynthia ter descoberto que John tinha uma relação com a artista japonesa Yoko Ono.

Natural de Blackpool, Inglaterra, Cynhtia acabou por voltar a casar várias vezes e publicou um livro de memórias dos anos em que esteve ao lado do músico britânico chamado «John».

Numa das várias entrevistas que deu para o promover afirmou que, no início da relação, John Lennon era irresistível e fascinava toda a gente.

«Não lhe conseguias resistir. Ele era um rebelde que fascinava toda a gente.»