A temporada 2017 da Formula 1 fechou com a vitória de Valtteri Bottas no GP de Abu Dhabi.

Com os títulos mundiais de Pilotos e Construtores já atribuídos a Lewis Hamilton e à Mercedes antes da última corrida do ano a equipa alemã ainda lutava pela dobradinha nos piloto enquanto a Ferrari lutava pela honra do vice-campeonato para Sebastian Vettel.

Nesse plano ainda por decidir no topo das tabelas, vingaram as pretensões da Scuderia, pois o terceiro lugar do piloto alemão permitiu-lhe apenas perder 10 pontos dos 22 de vantagem com partiu para este fim de semana.

Mas esse foi apenas o pequeno prémio de consolação para a Ferrari e Vettel, pois, no Circuito de Yas Marina, a Mercedes voltou a vincar a superioridade que se traduziu nos dois títulos já assegurados antes desta última prova.

Bottas ganhou saindo da pole-position e Lewis Hamilton foi o segundo classificado para uma dobradinha que refletiu a grelha à partida. O finlandês da Mercedes conseguiu a terceira vitória da época (e da carreira na F1) na quele que foi o 12.º triunfo de um Flecha de Prata em 20 provas do calendário.

O triunfo categórico de Bottas e o domínio da Mercedes deixaram a última etapa do campeonato com pouca história para contar. Os Ferrari nunca conseguiram aproximar-se dos dois adversários da frente.

Entre os Mercedes, só o retardar de Hamilton na ida às boxes para a troca de pneus trouxe alguma emoção à questão da liderança a maio da corrida, mas o finlandês conseguiu manter-se líder sem sobressaltos de maior.

E forma também poucos os sobressaltos durante uma prova que arrancou sem problemas (com um pião de Kevin Magnussen como única exceção). A luta entre Romain Grosjean e Lance Stroll na primeira parte da prova foi dando alguma animação no plano da condução; o abandono de Daniel Riccciardo devido a um problema hidráulico a meio da corrida animou na classificação (com Kimi Raikkonen a ficar em quarto no Mundial de Pilotos).

Mas pouco mais de passou do que uma roda mal apertada no Renault de Carlos Sainz a obrigar o espanhol a desistir; mas a não impedir a equipa francesa de conquistar o sexto lugar do Mundial de Construtores com o sétimo lugar de Nico Hulkenberg.

E já a pensar-se na época 2018 com um novo logótipo e cujos primeiros testes far-se-ão no Yas Marina já nesta semana que entra agora, Felipe Massa despediu-se oficialmente da F1.

Classificação final do Mundial de Pilotos da F1 2017:

Classificação final do Mundial de Construtores da F1 2017:

1. Mercedes, 668 pontos

2. Ferrari, 522

3. Red Bull, 368

4. Force India, 187

5. Williams, 83

6. Renault, 67

7. Toro Rosso, 53

8. Haas, 47

9. McLaren , 30

10. Sauber, 5