É chamada de “a carrinha portuguesa”. E a explicação é simples: pelo peso que tem nas vendas do Mégane em Portugal mas também porque foram os concessionários lusos que tiveram uma palavra decisiva nas especificações do modelo, desenvolvido paralelamente à berlina.

De facto, a Renault reconheceu o peso da carrinha no nosso país e permitiu que fossem os clientes portugueses, através dos concessionários, a decidir como é que a nova carrinha deveria ser. O objetivo da Renault é simples e assumido: a liderança do segmento C, dos familiares compactos.

Mais do que a funcionalidade, na Mégane Sport Tourer é o dinamismo e a elegância que ditam a lei. O que é óbvio logo no primeiro impacto, com uma identidade visual vincada, onde se destacam as assinaturas luminosas – à frente, em forma de “C”, com tecnologia LED; atrás, com um efeito 3D e a mesma tecnologia.

Bagageira ganhou 56 litros

Face à anterior Mégane Sport Tourer, é 45 mm mais comprida, mas 58mm mais baixa e com uma maior distância entre eixos (9mm). O resultado é uma bagageira com 580 litros de capacidade, mais 56 litros que a antecessora e mais 196 litros que a berlina, que podem chegar aos 1500 litros com o banco traseiro rebatido.

La dentro, destaque para um habitáculo bem construído e com boa ergonomia, além do enorme visor tátil, com o Mégane Sport Tourer a beneficiar, desde a versão intermédia Intens, do sistema multimédia R-Link 2, onde se pode escolher um dos cinco modos de condução do sistema Multisense: Neutral, Sport, Confort, Personalizado e Eco. Todos atuam de forma diferente na direção, motor, rodas direcionais (apenas na versão GT) e tonalidade da iluminação ambiente.

A posição de condução é excelente, valorizada pela possibilidade de regulação, tanto em altura como em profundidade, do volante e do banco – o primeiro com óptima pega; o segundo em tecido com um formato tipo bacquet muito envolvente, de série na versão GT Line que tivemos oportunidade de conduzir no evento de apresentação do modelo aos media nacionais.

O exemplar em causa estava equipado com o já conhecido motor 1.6 dCi de 130cv e 320 Nm de binário (a versão GT Line está disponível também com o popular 1.5 dCi de 110cv), um exemplo em termos de consumos, suavidade e disponibilidade.

Em conjunto com a caixa manual de seis velocidades, este quatro cilindros destaca-se pela suavidade e excelente insonorização. Permite acelerações (8,9 segundos dos 0 aos 100 km/h) e recuperações (6,3 s dos 80 aos 100 km/h, em 5.ª) competentes, em particular, com o modo Sport selecionado.

Nas estradas da Madeira, em particular nos míticos troços utilizados pelo Rali da Madeira, salta à vista o comportamento eficaz, e até entusiasmante, em particular quando o modo Sport é acionado. A direção também ajuda, mas é o trabalho feito ao nível das ligações ao solo faz a diferença.

Disponível com cinco níveis de equipamento – Zen, Intens, GT Line, Bose e GT -, a nova Mégane Sport Tourer conta, de série ou como opção, com tecnologias como o alerta de transposição involuntária da faixa de rodagem, sensores de chuva e luminosidade, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro, travagem ativa de emergência, sistema de reconhecimento de sinais de trânsito e aviso de ângulo morto.

Quatro opções Diesel, três a gasolina

Em Portugal, o Mégane Sport Tourer está disponível com três motorizações a diesel e três a gasolina. Mais para a frente, haverá ainda uma variante híbrida, denominada Hybrid Assist, que comnina o motor 1.5 dCi 110cv com um gerador elétrico, o qual tem por missão apoiar o motor Diesel nas acelerações, recuperando depois a energia nas fases de desaceleração.

Enquanto esta opção não chega, nesta fase de lançamento a oferta a diesel centra-se em duas variantes do 1.5 dCi, com 90 e 110cv, além do 1.6 dCi de 130 cv, que estará disponível, a partir do final do ano, também na variante de 165 cv, exclusivamente para a versão GT.

A gasolina, as alternativas passam pelo 1.2 TCe de 110 e 130 cv. Para os que não conseguem esperar pelo próximo Mégane RS, está disponível o 1.6 TCe de 205 cv (exclusivo na versão GT) com caixa automática EDC de sete velocidades.

Os preços começam nos 22.350 euros do 1.2 TCe 100 Zen e nos 24.700 euros para a versão de entrada na gama Diesel, o 1.5 dCi 90cv Zen. A versão que terá mais procura em Portugal, o 1.5 dCi 110 GT Line está disponível por 29.450 euros.

Todos os preços da gama Mégane ST:
1.2 TCe 100 Zen: 22.350 euros
1.2 TCe 130 Intense: 24.900 euros
1.2 TCe 130 GT Line: 26.400 euros
1.6 TCe 205 GT: 33.100 euros
1.5 dCi 90 Zen: 24.700 euros
1.5 dCi 110 Zen: 26.000 euros
1.5 dCi 110 Intense: 27.950 euros
1.5 dCi 110 GT Line: 29.450 euros
1.5 dCi 110 Bose Edition: 30.000 euros
1.5 dCi 110 Eco: 26.400 euros
1.6 dCi 130 Intense: 30.000 euros
1.6 dCi 130 GT Line: 31.500 euros
1.6 dCi 130 Bose Edition: 32.050 euros
1.6 dCi 165 GT: 36.100 euros