Este caso passou-se numa autoestrada dos Estados Unidos. O condutor de um Tesla Model S P85D confessou-se farto de ouvir o aviso sonoro do Autopilot e decidiu enganá-lo colocando uma laranja no volante.

Foi assim mesmo que o autor da artimanha fez e filmou – num vídeo que foi recarregado no YouTube depois de o “tipo original o ter apagado”, como refere o utilizador da rede RTJunk.

O condutor protagonista em questão elogia de forma “maravilhosa” o seu carro que já tem mais de 40 mil milhas (cerca de 65 mil km) e adverte que não aconselha que o imitem, para contar depois o que decidiu fazer quando estava “bem acordado” e rodava “no meio de nada” com o Autopilot acionado.

O sistema permite tirar as mãos do volante, garante a constância da velocidade determinada controlando acelerador e as travagens para que o condutor tenha uma viagem mais relaxada. Mas para que o relaxe não seja demasiado, a Tesla tem feito atualizações no software, nomeadamente no que respeita a este caso, na necessidade de voltar a pegar no volante em intervalos de tempo mais curtos.

Nas palavras deste condutor, os avisos “não costumavam ser tão agressivos”, mas “os recentes descarregamentos” deixaram o Autopilot a fazer avisos luminosos para voltar a pegar no volante a cada dois minutos – avisos que depois passam a alertas sonoros acabando o sistema por desligar “no seu geral”.

É aí que entra a laranja na história. O condutor explica que ao agarrar o volante é preciso agarrá-lo com a força suficiente para que os avisos se apaguem. E foi com uma laranja que ele conseguiu encontrar um elemento que faça a pressão necessária no volante para que os alertas não disparem sem ter de ter lá as mãos – e contabilizou 25 minutos de mãos livres desde o início da experiência.

Ele volta a frisar que não está a recomendar o truque e que “o melhor é manterem-se acordados”. Mas, para este condutor, “no meio do deserto do Utah, numa viagem de cinco horas”, esta viagem com o seu Autopilot Tesla estava a ser “uma beleza”.

O vídeo recarregado por RTJunk deixou também, posteriormente, de estar disponível no YouTube.

[atigo atualizado]