Esqueça a cilindrada (1.6 ou 2.0), os Audi vão passar a ser identificados pela potência e solução mecânica. A alteração segue a filosofia da Tesla (75, 90 ou 100) e vai dar origem a denominações como Audi A8 50 TDi ou A8 55 TFSi.

A estrutura de nomes, do A1 ao Q7, permanece inalterada, o que muda é a designação quanto à identificação das motorizações, que continua numérica, mas passa a ser de dois dígitos, referindo agora a potência em kilowatts.

Por exemplo, todos os modelos com potências entre os 81 e os 96kW (108 e 128cv) passam a receber o número “30”, enquanto o “35” surgirá nos modelos entre 110 e 120kW (145 e 159cv).

Nos motores acima, entre os 125 e os 150 kW (entre 165 e os 198cv), a identificação passa a ser “40”, enquanto “50” refere modelos com mais de 400kW (o equivalente a 529cv).

Na prática, um A3 1.6 TDI passa a chamar-se A3 30 TDI, o A1 1.0 TFSI muda para A1 25 TFSI, enquanto o A8 3.0 TDI passa a chamar-se A8 50 TDI.

A alteração não abrange os modelos de alta performance S e RS, assim como o desportivo R8. Os saltos entre versões serão de 5 em 5: 30, 35, 40, 45...

25 - 80kW ou menos (106cv)

30 - entre 81kW e 91kW (entre 107 e 127cv)

35 - entre 110kW e 120kW, (entre 145 e 159cv)

40 - entre 125kW e 150kW, (entre 165b e 198cv)

45 - entre 169kW e 185kW (entre 223 e 244cv)

50 - entre 210kW e 230kW (entre 278 e 304cv)

55 - entre 245kW e 275kW (entre 324 e 363cv)

60 - entre 320kW e 340kW (entre 423 e 449cv)

70 - mais 400kW (mais de 529cv)

O objetivo é acompanhar a tendência da eletrificação das gamas, tornando desta forma mais simples identificar os modelos elétricos, um pouco à semelhança do que acontece com a Tesla, que identifica a performance dos modelos com base na capacidade das baterias (75, 90 ou 100).

"À medida que tecnologias alternativas de motorização tornam-se cada vez mais relevantes, a capacidade do motor como um atributo de performance torna-se menos importante para os nossos clientes. A clareza e lógica na estruturação das designações de acordo com a potência torna possível distinguir entre os vários níveis de performance", explica Dietmar Voggenreiter, diretor de Vendas e Marketing da Audi.

O primeiro modelo a adotar a nova estrutura de identificação será o novo A8, que chega já este outono.