A Ferrari perdeu a exclusividade sobre o nome de um dos modelos mais icónicos da sua história: a denominação Testarossa, utilizada no desportivo produzido entre 1984 e 1996. O nome surgiu de uma adaptação dos míticos 250 Testa Rossa da década de 50.

Segundo o jornal alemão Zeit und Spiegel, a marca italiana viu-se obrigada a renunciar aos direitos da denominação depois de uma ação judicial avançada por um fabricante de brinquedos na Alemanha, a Autec AG.

O tribunal de Dusseldorf decidiu atribuir o registo do nome à empresa alemã, baseando a sua decisão no facto de a Ferrari não utilizar o nome Testarossa há mais de duas décadas.

Em sua defesa, a marca italiana argumentou que continua a dar assistência e a vender peças para o restauro dos modelos Testarossa, mas o tribunal considerou que tal não era o suficiente para manter a exclusividade, uma vez que esses serviços eram prestados pela Ferrari e não por uma entidade denominada Testarossa.

“Uma marca tem de ser utilizada para poder ser protegida, algo que, neste caso, a empresa não fez”, pode ler-se no comunicado, citado pelo Motortrend.

A Ferrari ainda pode apelar da decisão. Se não o fizer o nome Testarossa poderá ser utilizado para qualquer finalidade pela empresa alemã, que fabrica desde bicicletas até máquinas de barbear.