O Calendário mais famoso do mundo automóvel (e não só) já tornou públicas as primeiras imagens da edição de 2018.

Cada vez mais afastado do conceito do nudismo ou imagens sensuais que marcaram as primeiras edições, o calendário tem seguido um novo caminho, privilegiando diversidade na escolha de modelos. Em 2018, continua nessa trajetória, centrando-se essencialmente na questão racial.

Inspirado pelo conto "Alice no País das Maravilhas", o calendário Pirelli 2018 conta com nomes como Naomi Campbell, RuPaul, Whoopi Goldberg, Adwoa Aboah, Lupita Nyong’o, King Owusu, Alpha Dia e Puff Daddy, um elenco que promete quebrar estereótipos.

No papel da protagonista está a modelo Duckie Thot e, como rainha de copas RuPaul, drag queen e conhecida da televisão americana. A caraterizar Tweedledee, está a modelo britânica Adwoa Aboah, que tem ganho protagonismo à frente de causas feministas.

O calendário foi fotografado por Tim Walkem e desenhado pelo editor britânico da Vogue, Edward Enninful. Não é a primeira vez que a Pirelli lança um calendário com um elenco totalmente negro. Fê-lo também em 1987, mas desta vez o tema é bem mais abrangente.

“A história da Alice já foi contada tantas vezes e de tantas formas diferentes, mas sempre com um elenco branco”, afirmou Tim Walker em entrevista ao The New York Times a propósito da inspiração para o calendário cujos cenários ficaram a cargo de Shona Heath. “Nunca existiu uma Alice de raça negra, por isso quis mostrar como as figuras ficcionais de fantasia podem ser representadas e explorar novos ideais de beleza.”

“O tema da inclusão está a ser discutido de uma forma nunca antes vista, mas vai muito mais além da raça negra e branca”, disse ao The New York Times o editor da Vogue britânica, Edward Enninful, que ficou encarregue da visão artística. “Tendo em conta o estado do mundo em que vivemos, às vezes acho que acabamos por sentir que caímos na toca do coelho. Para mim, recontar a Alice num mundo moderno foi o projeto perfeito, particularmente quando o elenco ficou definido.”

O “The Cal”, como é conhecido, é publicado pela Pirelli desde 1964. Criado pelo fotógrafo dos Beatles, Robert Freeman, o calendário depressa ultrapassou o estereótipo de decoração das paredes das oficinas para se transformar num ícone das artes visuais.