É por demais conhecido que a velocidade máxima do Chiron está limitada a 420 km/h. Só que o CEO da Bugatti, Wolfgang Durnheimer, já admitiu que o sucessor do Veyron será capaz de alcançar os 468 km/h. Aliás, o próprio velocímetro tem escala até aos 500 km/h (?!). Afinal, qual a velocidade máxima possível para o hipercarro de 1.500 cv e 1600 Nm de binario?

Segundo Andy Wallace, o piloto de testes da Bugatti e vencedor das 24 Horas de Le Mans, a razão para a limitação encontra-se apenas e só nos pneus: os Michelin Pilot Sport Cup 2S desenvolvidos especialmente para o Chiron (nas medidas 285/30 R20 na frente e 355/25 R21 atrás) não suportariam tal esforço. Mas deixou claro que os 450 km/h seriam facilmente alcançáveis.

Atualmente, o Chiron está limitado aos 420 km/h, sendo que para chegar a esta velocidade é necessário inserir uma chave especial que ativa o modo de velocidade máxima. Sem esta chave fica-se pelos 381 km/h.

O motivo para esta limitação é precisamente para evitar que todos os clientes possam chegar a essa velocidade, já que os pneus atuais de origem da Michelin não têm capacidade para suportar velocidades tão elevadas.

Andy revelou ainda que a fabricante francesa está a trabalhar em novos materiais que permitam alcançar números mais elevados, sem que estejam prontos antes do próximo ano. Será por essa altura que o Chiron irá tentar bater o recorde de velocidade máxima para um carro de estrada.

Considerando que o Chiron tem potencial para aproximar-se dos 470 km/h, seria possível, então, levá-lo aos 482 km/h (300 milhas por hora)? Wallace afirma categoricamente que não, especialmente devido às forças “devastadoras” aplicadas sobre o carro.

Veja ainda:
VÍDEO: Bugatti Chiron a mais de 350 km/h no Alentejo