É já um hábito do Museu do Caramulo, pelo menos no que respeita a automóveis que se encontram em condições de circular: levar com regularidade os seus mais de 100 veículos à rua, para algumas voltas de manutenção, pelo menos uma vez por ano.

A honra desta vez coube ao imponente Cadillac Series 75 de 1947, veículo que esteve ao serviço do antigo presidente do Concelho de Ministros, António de Oliveira Salazar.

“Levámos o nosso Cadillac Series 75 (1947), que esteve outrora ao serviço de António de Oliveira Salazar, para a sua volta de manutenção. Continua a ser o motor mais suave e silencioso em toda a coleção do Museu do Caramulo”, pode ler-se no Facebook do Museu do Caramulo.

Esta peça que faz parte da história de Portugal está dotada de um motor de 8 cilindros, de válvulas laterais, com 5.675cc e 150cv, o que lhe permitia acelerar uma velocidade máxima de 130 km/h. 

Segundo o Museu do Caramulo, em 1947, o Estado português mandou comprar dois Cadillac iguais: um para o Presidente da República – Óscar Carmona – e outro para o Presidente do Conselho de Ministros – Prof. Oliveira Salazar.

Até essa altura, as viaturas oficiais estavam normalizadas nas marcas e modelos. Todos os Ministros dispunham de automóveis Packard Clipper, de oito cilindros, de sete lugares e os Secretários e Subsecretários de Estado de automóveis da mesma marca, mas de cinco lugares.

Desde então, e até à sua morte, Salazar usou sempre o Cadillac que lhe estava destinado, tendo recusado um Mercedes-Benz 600 adquirido pelo Ministério das Finanças, em 1968 (carro que hoje está na Presidência da República), por entender que o Cadillac continuava em bom estado e servia muito bem para o seu serviço oficial.

Em abril de 1971, menos de um ano após a morte do Salazar a 27 de julho de 1970, o Cadillac Series 75 foi vendido em hasta pública, sendo então adquirido, por João de Lacerda, para ser exposto no Museu do Caramulo. Curiosamente, o interior do modelo encontra-se em perfeito estado de conservação, por ter sido protegido com capas nos bancos, por ordem de Salazar.

O Cadillac Series 75 em causa faz parte da coleção permanente do Museu do Caramulo e fez parte da exposição “Os Automóveis de Salazar”.