O Autódromo Internacional do Algarve entrou na corrida para receber o Mundial de Fórmula 1.

A notícia é avançada pela «Autosport» frisando que o processo negocial está numa «fase inicial», mas que já aconteceram «conversas entre o Circuito do Algarve e os novos donos da F1, a Liberty Media».

A publicação britânica explica que o «Governo português terá pedido» aos responsáveis da circuito algarvio para «aferirem das possibilidades de fazerem regressar a F1 ao País».

O Autódromo do Algarve foi construído em 2008, a cerca de 16 quilómetros de Portimão, tendo atualmente uma lotação de mais de 82 mil lugares (10 mil em peão) à volta de uma pista de 4,684 km.

Os responsáveis do circuito português acreditam reunir as condições para receber a Fórmula 1 quer pelo circuito quer pelas infraestruturas, mas a «Autosport» salienta que «entendem» a forte concorrência num mercado que verá França regressar (após dez anos) ao calendário de 2018 com o Circuito de Paul Ricard, assim como a Alemanha depois da ausência em 2017.

Se o próximo ano já prevê o aumento do calendário de 20 para 21 corridas, as intenções da Liberty são o de ainda fazer crescer mais o número de grandes prémios a partir de 2019 – como há bem pouco tempo Sean Bratches revelou.

O Autódromo Internacional do Algarve – que no presente integra o calendário do Mundial de Superbikes – já recebeu carros de Fórmula 1 para testes realizados por Ferrari, McLaren, Toyota, Renault, Toro Rosso e Wiliams, em dezembro de 2008 e duas vezes em janeiro de 2009.

Portugal recebeu o Mundial de F1 entre 1984 e 1996 no Autódromo do Estoril.

O Autoportal contactou o Autódromo Internacional do Algarve, para mais esclarecimentos por parte dos responsáveis do circuito português, mas não conseguiu obter até então qualquer resposta.

[Artigo atualizado às 20h20]