Sabe que se quiser vender o seu carro e se ele for amarelo essa cor pode ter uma influência decisiva, para o lado positivo, neste caso, no valor que vai conseguir? Esta é um dos dados revelados por um estudo realizado por um motor de busca de automóveis dos Estados Unidos.

A análise do «iSeeCars.com» mostra que os carros de cor amarela são aqueles que menos desvalorizam quando são colocados à venda em segunda mão. Os carros amarelos têm uma desvalorização de 27% (no período em análise para três anos de vida), enquanto o valor médio é de 33,1%.

No fim da lista dos carros que mais valor perdem estão aqueles que são de cor dourada atingindo uma desvalorização de 37,1%.

A explicação para este valor do amarelo estará relacionada com a raridade. “Os carros amarelos são relativamente menos comuns, o que pode levar a um aumento da procura e ajudar a manter o seu valor”, refere o CEO do «iSeeCars.com, Phong Ly.

Cor – desvalorização média em 3 anos

Amarelo – 27%

Laranja – 30,6%

Verde – 30,9%

Branco – 32,6%

Vermelho – 32,7%

Valor médio – 33,1%

Azul – 33,5%

Castanho – 33,5%

Cinzento – 33,5%

Preto – 33,6%

Prateado – 34%

Bege – 36,6%

Roxo – 36,7%

Dourado – 37,1

A raridade estará também como explicação para que os carros amarelos estejam na segunda posição mais alta da tabela dos veículos que mais tempo demoram a ser vendidos. Os carros amarelos têm um período médio de 41,5 dias no mercado – ficando apenas atrás dos automóveis bege.

Os carros bege têm um valor médio de 46,6 dias a serem vendidos sendo o valor que divide a tabela de 36,5 dias.

Cor – valor médio de dias no mercado

Bege – 46,6

Amarelo – 41,5

Vermelho – 40,9

Prateado – 38,8

Azul – 36,8

Valor médio – 36,5%

Laranja – 36,2

Verde – 36,2

Preto – 36

Castanho – 35,3

Branco – 35

Dourado – 34,3

Cinzento – 34,2

Roxo – 33,3

Phong Ly explica que “os consumidores que pensam comprar um carro novo podem querer encontrar algo em amarelo, laranja, ou verde, porque obterão um valor maior se venderem o carro uns anos depois”.

Mas o responsável do motor de busca adverte também que a procura por carros cuja cor os deixa nos mais desvalorizados pode ser maior do que em relação a cores mais valiosas porque os dourados, ou bege, por exemplo, “já terão atingido uma grande parte do seu valor de desvalorização”.

O «iSeeCars.com» realizou o estudo num universo de 2,1 milhões de carros de 2014 vendidos nos Estados Unidos num período de cerca de três anos depois, entre setembro de 2016 e agosto de 2017. O estudo em detalhe pode ser consultado aqui.