No passado mês de julho, a PSA Mangualde assinalou os 27 anos que passaram desde o fabrico do último Citroën 2CV. O icónico modelo que nasceu em 1948 viu a sua última unidade ser produzida em 1990, aqui, em Portugal.

Em Portugal foram produzidos 80 mil 2CV durante mais de 15 anos. Ao longo de toda a sua história, o popular modelo da Citroën vendeu mais de 3,8 milhões de unidades.

Agora, há mais um e já está no Museu da Citroën.

Michel Robillard, marceneiro na reforma, fez a união da célebre paixão pelo 2CV e pela madeira. E construiu, claro está, um 2CV feito todo de madeira – pronto, 90% feito de madeira, mas já lá vamos...

Este trabalho de seis anos é «uma tal obra [que] merecia fazer parte do museu oficial da Citroën» frisa a marca francesa no vídeo publicado há duas semanas em que «rende homenagem» a esta dedicação feita em escala real.

«Para se colocar em sintonia, a Citroën publicará até 25 de agosto posts em madeira», pôde ler-se no vídeo. E pôde ler-se depois também nas redes sociais.

 

Assim ficámos a saber que os 10% que não são madeira são «os pneus, o motor, os vidros e o chassi, de uma Dyane 6 de 1966». Pois é, aquilo de que se fala aqui neste modelo de madeira «não é de combustível, mas de pereira, macieira, nogueira, cerejeira...»

Michel Robillard, agora, «sonha em ver o seu 2CV no cinema». Enquanto não é protagonista de filmes, este modelo único pode ser visitado no museu virtual Citroën Origins, onde se pode vê-lo a 360 graus quer pelo exterior, quer no seu interior – e até ouvindo os sons do fechar das portas, do travão de mão ou da buzina...