Primeiro a gama DS, depois o Méhari e agora...o CX. A onda de revivalismo da Citroen poderá trazer de volta a berlina que marcou a década de 70. O primeiro passo será dado com o CXperience, com estreia a 1 de outubro no Salão de Paris.

Com 4,85m de comprimento (mais 7cm que o C5), que contrasta com a altura reduzida, de apenas 1,37m, e jantes de 22 polegadas, o CXperience aponta para o futuro topo de gama da Citroen (ou DS).

Esta berlina, que poderá dar origem ao futuro C6, DS6 ou simplesmente CX, está equipado com um sistema híbrido plug-in a gasolina, capaz de debitar uma potência combinada de 300 cv. As baterias podem ser carregadas em menos de 2h30 e anunciam uma autonomia para 60 km de modo elétrico.

Todo o estilo e a sua configuração foram pensados precisamente para um público-alvo que procura carros topo de gama. Tem três metros de distância entre eixos, que contrasta com os 1,37m de altura. O perfil esguio da retaguarda parece rasgar o vento.

A preocupação com o conforto dos ocupantes verifica-se em vários detalhes, com destaque para as portas traseiras, de abertura invertida, sem pilar central, com o objetivo de oferecer um habitáculo amplo e tecnológico.

A tecnologia está igualmente em destaque no interior, com um imenso ecrã de 19 polegadas na dianteira e as câmaras a substituir os retrovisores (algo já legal no Japão). As imagens são apresentadas em dois pequenos ecrãs nos painéis das portas.

Audacioso, este protótipo representa as aspirações da Citroën para o futuro das berlinas Premium. A combinação de um exterior futurista e um interior projetado para o conforto dos ocupantes indica o plano de desenvolvimento da marca francesa para os próximos anos.