É o primeiro passo para o fim dos espelhos retrovisores “analógicos”. O Japão aprovou a venda de carros com câmaras em substituição dos tradicionais espelhos retrovisores. Daqui a dois anos será no resto do mundo.

A ideia não é nova e tem sido vista em protótipos mas também na competição, nomeadamente nas 24 Horas de Le Mans, por exemplo.

A substituição de espelhos retrovisores por câmaras permite reduzir o arrasto aerodinâmico e uma redução de peso, o que, por consequência, melhora os consumos. Os benefícios estendem-se também à segurança, na medida em que é menos um elemento protuberante capaz de provocar lesões.

Outra vantagem é que pode melhorar a imagem digitalmente, compensando a falta de brilho e de luz, permitindo melhor visibilidade em condições noturnas e de chuva. As imagens também podem ser reproduzidas em diversas opções de ecrãs (painel de instrumentos, consola, no local do espelho de teto…)

O governo japonês foi o primeiro a aprovar a comercialização de modelos sem espelhos, com câmaras de filmar a assumirem o seu papel. A Ichikoh Industries (do Japão) e a Bosch (da Alemanha) já se propuseram a fornecer este tipo de tecnologias a construtores locais. O primeiro modelo de produção será lançado no outono.

Na Europa, a aprovação das câmaras “retrovisoras” deverá avançar ainda este ano.