“Diferenças irreconciliáveis.” Uma só expressão ditou o fim de uma das relações mais populares em Hollywood. A união de 12 anos entre Angelina Jolie e Brad Pitt chegou ao fim. Agora é altura de fazer contas. Os dois atores têm uma fortuna que ultrapassa os 500 milhões de dólares e uma das questões que se coloca é: quem fica com a valiosa coleção de motos de Pitt?

O ator, de 52 anos, é um forte apaixonado por motos, sendo que a coleção supera já as duas dezenas. A mais impressionante (e valiosa) é uma BMW da II Guerra Mundial que custou ao ator algo como 385 mil dólares (mais de 343 mil euros).

O motociclo, de três rodas, fabricado em 1942 foi utilizado por uma unidade de reconhecimento alemã para explorar as montanhas e desertos de Creta em 1945.

O anterior vendedor assegurou ao Daily Mail que, “há apenas 500 motos deste tipo em todo o mundo, são peças de coleção, como os quadros, e o seu valor aumenta com os anos”“Mesmo as peças são muito dispendiosas, se forem originais. Tive que substituir uma pequena peça de metal e custou-me cerca de 2.300 dólares”, contou o colecionador grego chamado Yannis.

O valor (300 mil euros) foi praticamente o mesmo que pagou pela Ecosse FE Ti XX, a primeira moto do mundo feita em titânio. Apenas 13 unidades foram construídas.

Na coleção constam motos mais recentes como uma BMW R1150GS Adventure,  Yamaha R1, Triumph Bonneville, Royal Enfield Bullet 500 e uma Ducati Desmosedici RR.

Além da coleção que possui, Pitt demonstrou a sua paixão por motos ao dar voz ao documentário “Hitting The Apex”, dedicado aos pilotos de MotoGP, Casey Stoner, o falecido Marco Simoncelli, Jorge Lorenzo, Marc Márquez, Dani Pedrosa e Valentino Rossi.